17 junho 2011

Meu presente do Dias dos Namorados !

                       Não poderia deixar de vir aqui contar para você que meus posts sobre adegas renderam bons frutos, ou melhor bons vinhos.
             Olha a surpresa que tive ao retornar no sábado a noite.        Ganhei a minha adega para vinhos.
           Na caixa esta escrito para vinhos tinto, mas coloquei vinhos branco também, aos servir-los é aconselhável que eles permaneçam em baldes com gelo.


Se  você não tem uma adega isso não significa que não irá saborear um bom vinho na temperatura correta, mesmo para os esquecido temos uma solução.

7 passos para arrefecer (gelar)uma garrafa de vinho rapidamente



            Apetece-lhe (desejar muito) um copo de vinho fresco e não tem nenhuma garrafa de reserva na geladeira ou na adega?  Acabaram de chegar os convidados e só agora se lembrou que se esqueceu de colocar o vinho a refrescar? 

          Não há problema! Com estes 7 passos simples, pode arrefecer uma garrafa de vinho em 25 minutos, mesmo a tempo do jantar.

    Garrafa de vinho no balde de gelo
  1. Encha cerca de ¾ do balde reservado à garrafa de vinho (ou outro recipiente apropriado) com gelo.
  2. De seguida, cubra o gelo com água fria.
  3. Deposite duas mãos cheias de sal grosso sobre o gelo e água. O sal é o segredo por de trás deste truque para arrefecer rapidamente o vinho, ou seja, ao reagir com a água e o gelo, refresca-o de imediato.
  4. Introduza a garrafa de vinho no balde e mexa cuidadosamente várias vezes.
  5. Deixe repousar durante 25 a 30 minutos para um arrefecimento total.
  6. Retire a garrafa de vinho do balde, limpando-a bem para retirar qualquer resíduo de sal.
  7. Abra a garrafa de vinho, sirva e mantenha-a fresca com recurso ao balde novamente cheio de gelo ou com um frappé (Resfriado em contato com o gelo).

Termómetro de vinhos


       A temperatura à qual é servido qualquer néctar dos deuses é crucial para assegurar que as melhores qualidades desse vinho venham ao de cima, ou seja, a 18ºC (a temperatura máxima a que um vinho deve ser servido) o aroma ou bouquet está no seu auge, mas se for submetido a uma temperatura inferior a 8ºC, essas mesmas características são praticamente anuladas.

     As temperaturas que servem de referência para a apreciação do vinho são um excelente ponto de partida para descobrir aquela que lhe parece mais adequada e, claro, mais saborosa! Para avaliar, de forma correta, a temperatura de um vinho, o ideal é utilizar sempre um termómetro específico para o efeito e que pode ser adquirido em lojas da especialidade.

       De termómetro em punho, saiba como desfrutar ao máximo o seu próximo vinho, seja ele qual for!


Vinho branco refrescante


  • Apesar de ser a forma mais prática de refrescar uma garrafa de vinho, colocá-la na geladeira ou no congelador não é o melhor método: aconselha-se antes submergir a garrafa num balde com partes iguais de água fria e de gelo – precisará apenas de sete ou oito minutos para baixar a temperatura de 18º para 3ºC. Se o balde for pequeno, pode virar a garrafa de gargalo para baixo inicialmente, voltando-a após alguns minutos, para assegurar um arrefecimento homogéneo. Em contra partida, pode também utilizar um saco refrigerador que, previamente esfriado, envolve a garrafa, refrescando-a rapidamente.
  • Se preferir optar pelo método tradicional, no Verão é importante colocar o vinho no frigorífico várias horas, para ser servido bem gelado. Esta temperatura fresca pode e deve manter-se à mesa, com recurso a um balde com gelo (também conhecido como “frappé”) ou um saco refrigerador.
  • Para servir vinho branco no Inverno, basta uma ou duas horas no frigorífico ou então pode perfeitamente recorrer ao método do balde com água fria e gelo.
  • Evite manter um vinho branco demasiado tempo no congelador: o resultado será um vinho desenxabido, uma vez que a exposição a temperaturas extremamente baixas acaba por ocultar o seu paladar. 

Vinho tinto aconchegante 

  • Normalmente consumido à temperatura ambiente, um vinho tinto deve ser colocado na sala onde irá ser servido, para que possa aquecer de forma natural e gradual. Se a casa estiver fria, por exemplo, mantenha a garrafa na cozinha enquanto prepara a refeição.
  • Para uma solução rápida e eficaz, volta-se a recorrer a um balde, desta feita com água quente. Mergulhe a garrafa durante sete ou oito minutos para subir a sua temperatura de 13ºC para 18ºC. Em alternativa, pode envolver a garrafa numa toalha ou pano previamente embebido em água quente.
  • Tenha cuidado! Um vinho sobre aquecido pode estragar por completo um néctar dos deuses antes divinal, por isso, não se descuide, nem coloque as garrafas muito próximas de fontes de calor demasiado fortes, caso de radiadores ou lareiras.
  • Se quiser que o vinho respire, a decantação deve ser feita antes do aquecimento.
  • No Verão, um vinho tinto ligeiramente refrescado é igualmente apetecido, até porque a sua natureza permite que, uma vez servido, o vinho depressa aquece, atingindo a sua temperatura ideal. Pode colocar a garrafa no frigorífico, mas tenha o cuidado de acertar a sua temperatura para um máximo de 12ºC.
  • Um vinho tinto fresco já não é novidade, nem “escandaloso” para ninguém, principalmente nos países com climas muito quentes. É simplesmente uma questão de gostos e de experimentar!

Um guia rápido das temperaturas certas

Vinho Tinto
  • Jovem: 11º a 14º
  • Encorporado: 15º a 17º
  • Reserva: 16º a 18º
Vinho Branco
  • Leve e doce: 6º a 8º
  • Jovem, meio-seco, leve, doce, encorporado: 7º a 10º
  • Encorporado: 10º a 12º
Vinho Rosé
  • Temperatura ideal: 7º a 10º
Vinho Espumante
  • Doce: 6º a 9º
  • Bruto: 6º a 12º
Vinho do Porto
  • Branco (servido fresco): 6º a 7º
  • Branco: 8º a 12º
  • Tawny: 12º a 16º
  • Vintage: 16º a 18º
Vinho Generoso
  • Madeira: 10º a 14º
  • Moscatel: 12º a 14º
 
 
Beber vinho é uma delícia,
mas se for bem acompanhado 
porque quando o vinho desce,
solta-se a língua e 
revela-se sentimentos e segredos.