14 setembro 2012

Estilos de Vinhos



VINHO BRANCO VIVO, SECO, LEVE.

São vinhos refrescantes, graças a sua acidez e delicadeza.
Regiões e Castas: Chablis, italianos em geral, vinho do Loire (França), grande parte dos vinhos nacionais que não passam por madeira.


VINHO BRANCO AROMÁTICO OU FLORAL, SECO OU MEIO DOCE.

Vinhos com buquê floral, boa acidez e final persistente.
Regiões e Castas: riesling, gewurztraminer, torrontés e viognier.

VINHO BRANCO, SECO, PORÉM PERFUMADO.

Marcadamente secos, com acidez viva. Sua casta mais difundida é a suvignon blanc.
Regiões e Castas: sauvignon blanc da Nova Zelândia ou do Loire (França), alguns riesling e os portugueses da uva bical.

VINHO BRANCO ENCORPADO, COMPLEXO.

São os grandes borgonhas brancos, ricos, secos, densos e untuosos.
Regiões e Castas: chardonnay do Novo Mundo; vinhos brancos da Borgonha, de châteauneuf-du-Pape, Hermitage branco.

VINHO ROSADO.

Há bons vinhos rosados em todo o mundo.
Regiões e Castas: Provence, Loire (França), Chile, Argentina etc.

VINHO ESPUMANTE.

Um ótimo espumante é vivo, firme e gracioso, podendo ser mais ou menos complexo.
Regiões e Castas: champagne (França); o espumante brasileiro da Serra Gaúcha; o cava espanhol; o prosecco italiano.

VINHO TINTO LEVE, POUCO TÂNICO.

São vinhos para serem tomados bem jovens.
Regiões e Castas: pinot noir, chilenos sem madeira, brasileiros sem ou com pouca madeira, Chianti etc.

VINHOS TINTOS ENCORPADOS E CONCENTRADOS.

São vinhos robustos como os grandes tintos franceses.
Regiões e Castas: Bordeaux, Châteauneuf-du-Pape, Hermitage tinto, Barolo e Barbaresco (Itália) e muitos do Novo Mundo.

VINHO DOCE, SUAVE OU ESPUMANTE MEIO DOCE.

Suntuosos e opulentos, são vinhos de colheita tardia, às vezes atingidos pela chamada podridão nobre - fungos "nobres" que atacam a uva.
Regiões e Castas: São clássicos do Sauternes, da França; o Tokay, da Hungria; e os da uva moscatel.

VINHOS FORTIFICADOS, SECOS E MEIO DOCES.

Vinhos muito secos, com muito buquê e fortificados são grandes aperitivos.
Regiões e Castas: Xerez (Espanha); vinhos do Porto branco (Portugal).

VINHOS FORTIFICADOS, DOCES.

Vinhos licorosos, tintos ou brancos, com graduação alcoólica mais elevada.
Regiões e Castas: o Porto (Portugal) e o Banyuls (França) são exemplos de tintos; o Muscat de Riversaltes (França), o moscatel de Setúbal (Portugal) e o Marsala (Itália) são exemplos de brancos.



Decantar o vinho


Há uma cerimónia simples e eficaz que se realiza antes de se servir um verdadeiro e irresistível néctar dos deuses – chama-se decantar o vinho. Com um acessório muito próprio, é feito por três importantes motivos, um dos quais, potenciar a sua degustação!

DICAS
  • Não é obrigatório decantar cada garrafa de vinho que abrir, no entanto, é muito aconselhado quando se sabe, de antemão, que esse néctar contém partículas do depósito – ao mais pequeno movimento, o vinho puro vai misturar-se com a borra.
  • Abrir a garrafa e retirar a rolha não permite a respiração adequada do vinho, uma vez que apenas o líquido que se encontra próximo do gargalo é que está, efectivamente, em contacto com o ar.
  • No caso de se esquecer, ou por falta de tempo, recorra a esta técnica de decantação rápida: coloque um pano branco e fino ou um simples guardanapo de papel sobre a abertura do decantador e verta o vinho através do mesmo, parando quando surgirem os primeiros sinais de borra.
  • Se (ainda!) não tiver um decantador, utilize outro recipiente para o processo de decantação e, no final, reintroduza o vinho na sua garrafa original com recurso a um funil.
  • Um vinho de qualidade vai continuar a desenvolver e a libertar-se dentro do próprio copo, por isso, um brinde e boa degustação…


TAÇAS 


 Taça deve permitir que o vinho seja visto, cheirado e degustado de modo a se tirar o máximo prazer da experiência. 

A mais adequada para esse fim é feita de vidro fino, simples, incolor, em oposição ao vidro grosso. Ela deve ter um pé  para segurar  para que você não tenha de colocar a mão quente ao redor do vinho. 

Pelos mesmos motivos, a taça, seja para tinto, branco, ou rosé, deve ser de tamanho generoso: você nunca deveria precisar encher uma taça além da metade. 


















DECORANDO COM ROLHAS














u_3ba8e31b